domingo, Abril 27, 2008

A escassez de alimentos no mundo

No "Público" de hoje na sua capa e nas páginas principais foca-se o espectro da escassez de alimentos no mundo, o aumento do preço dos cerais e o seu efeito, sobretudo sobre os pobres e a possibilidade de crises sociais graves. Esta crise é ainda focada como um imposto sobre os mais pobres, parecendo um follow-up da política do Sócrates. A agricultura que tanto tem sido desprezada na cadeia produtiva acabará assim por voltar a ser uma prioridade. Põe-se cada vez mais na ordem do dia a necessidade de um crescimento sustentável, adequado aos recursos da Terra, respeitando o direito à dignidade humana e equilibrado. Muitas grandes empresas e universidades mundiais já se vêm preocupando com o tema mas nesta santa terrinha à beira mar plantada continua a pensar-se em crescimento do PIB como sinónimo de desenvolvimento. A poluição gerada pelo absurdo dos grandes e potentes carros, os congestionamentos de tráfego que tudo atrasam e causam doenças psicossomáticas, a maneira como educamos as crianças e finalmente a sobrevivência dos seres humanos entram para o PIB? Certamente muitos continuarão a pensar que a felicidade está na posse e na destruição maciça de recursos, na exibição de status social pela ignorância e na concepção de empresas produtivas à custa da existência diária da maioria das pessoas. Aqui, o lixo televisivo acabará por aparecer nas nossa vidas e se alguns pensam que apenas o dinheiro os salvará pensamos que se enganam redondamente.

Sem comentários: