segunda-feira, maio 10, 2010

Medina Carreira e o plano inclinado

Temos vindo a acompanhar na SIC Notícias o "Plano Inclinado". O jornalista da estação Mário Crespo já foi incomodado pelas entrevistas que conduz. Medina Carreira que tem vindo a por a boca no trombone como já o afirmámos anteriormente, desdobra-se em raciocínios e em contas para demonstrar o grave desequilíbrio em que se encontra o que sobra deste país. Uma nova vaga de privatizações se avizinha com os chamados justificativos de melhor gestão privada, de necessidade de reduzir a dívida pública e de obedecer aos critérios estabelecidos por Bruxelas. Não se vê qualquer utilidade a não ser passar sectores lucrativos para as mãos de amigos e claro está estes devem, no futuro, mostra-se agradecidos com quem lhes fez os fretes. A mecânica é sempre a mesma e não é inocentemente que se festeja a vitória do Benfica durante horas nos canais televisivos ou se dão quatro telenovelas seguidas para entreter as donas de casa e não só. Durante meses, estivemos aqui a mostrar a técnica e a denunciar a falta de carácter dos nossos políticos. Se lerem este blog verão que a crise já cá foi anunciada há muito. A Justiça é o que se tem observado cheia de pressa em queimar provas que um dia possam, mesmo que tardiamente, demonstrar a responsabilidade criminal de muito ilustre compadre. Creio que sem grande margem para erro dizer que o sistema está infiltrado de uma máfia legalizada que vai absorvendo os dinheiros públicos. Depois, apela-se ao sentimento e "patriotismo" para cobrir os buracos deixados pelo despesismo, incompetência e roubalheira generalizada. Parece que este é o melhor regime mas não deixa de ser um regime abandalhado. Não é só aqui? Claro que não. O fenómeno é globalizado. Se tem alguma tradução em termos de slogan será:-Corruptos ao poder! Toca a fanar rapaziada!
Vê-se saída para isto? Nenhuma. Vê-se é que as gratificações de Natal vão ter imposto especial e que o que interessa é começar o campeonato do mundo de futebol e gritar aos ronaldos e quejandos que nos façam esquecera miséria em que vivemos.
Tranquilos com a protecção de juízes, militares e polícias irão continuando a sua tarefa de sugar o povo. As leis fazem-nas eles para consumo próprio e assim continuará a haver apitos dourados, furacões e faces ocultas. Serão assim tão ocultas? Embrulhados na mesma merda ficam o presidente da república, os pretensos honestos defensores da causa e, claro está, todos nós.
Obrigado Mário Soares, Cunhal e sócios por esta linda liberdade.

1 comentário:

joaquim silva disse...

a politica serve para três coisas:proteger os amigos,castigar os inimigos e fazer leis para os indiferentes.